Google+ Seguidores

segunda-feira, maio 27

Você sabe cantar o jingle do Dolly Guaraná?

Dolly e o Case de Sucesso.
Por Alexandre José.
Adicionar legenda

Não, não, eu não estou louco ainda.
Sei que muitas pessoas já falaram sobre
o assunto em blogs e sites de publicidade,
já ouvi milhares de comentários do tipo
"A Dolly não deve ter uma agência por trás"
"O comercial da Dolly é muito feio /
chato / bobo" "A Dolly é uma vergonha pra
propaganda brasileira".
Todo mundo já disse isso, então vou explicar
o porquê de falar nesse assunto novamente.

Hoje pela manhã, enquanto me arrumava para vir ao trabalho estava vendo
TV e vi mais uma vez o famoso filme com o jingle da Dolly, "Dolly guaraná
Dolly!". Então me lembrei de algumas discussões que tive com colegas e
professores a respeito.

Vamos pensar um pouco. Se as campanhas da Dolly são tão ruins e todos
falam que os filmes mancham a marca fazendo o consumidor não querer
consumir o produto, por que as campanhas com o mesmo conceito e o
mesmo jingle bobo são veiculadas há tantos anos e em várias épocas
diferentes (comemorativas ou não)? Vocês fazem ideia do custo de
produção e veiculação de uma campanha publicitária como as da Dolly
que se utilizam de diversas mídias como TV, Rádio e Impresso. É um custo
extraordinário por volta dos milhões. Pra mim, quem não consegue vender
os produtos e principalmente a marca não consegue a verba para produzir
publicidade.

Em uma conversa com a professora Elisete Baião da Universidade Cruzeiro
do Sul citei as campanhas da Dolly como sendo muito ruins e ela me disse
algo que nunca mais esqueci. "Você sabe cantar o Jingle da Dolly? Então
a campanha surtiu efeito, se tornou um chiclete, está na boca do povo".
Aí comecei a pensar e fazer alguns comparativos a respeito da Dolly e
de outras marcas de refrigerante.

Primeiramente o público alvo. A maioria dos refrigerantes são vendidos
a preços absurdos devido ao posicionamento que a marca já atingiu n0
mercado e ao público alvo que é destinada, esse é o exemplo da
Coca-Cola, já o público alvo da Dolly é muito diferente do público
que consome Coca-Cola. As campanhas da Dolly geralmente são
direcionadas para as classes C e D, esse também é motivo para o
refrigerante Dolly ser mais barato, a diferença de preço chega a ser
absurda. Apesar de não ser minha preferência tomo Dolly as vezes e
não acho ruim, aí tem o caso das pessoas que reclamam do sabor e
da qualidade, isso eu não discuto, cada um com seu gosto, mas
muitas vezes já vi as pessoas que reclamam da qualidade, consumir
o produto.

Isso me fez perceber que muitas vezes as pessoas falam mal da marca
por vergonha de dizer que consomem, mesmo que gostem, dizem que
não gostam justamente por ser um produto destinado a classes menos
abastadas, como se as outras pessoas fossem criar um preconceito de
quem consome um produto barato e com a propaganda dita como ruim.
Pra finalizar, digo aos que falam que a propaganda da Dolly é uma vergonha.
Vocês estão redondamente enganados. As propagandas podem ser pobres
em arte e criatividade, isso eu concordo, não inovam, também concordo,
mas que não funcionam eu discordo totalmente. O Objetivo da publicidade
por mais que pareça não é ser bonita, premiada e coisas do tipo, o objetivo
é anunciar, comunicar ao consumidor que existe um produto X para ser
consumido. Que levante a mão quem nunca tomou Dolly na vida! Agora
quem não sabe cantar de cor a letra do Jingle mais famoso dos últimos
tempos.


Depois disso, quem sabe você também se lembre do jingle "Pôneis Malditos",

da Nissan.

Nenhum comentário:

Postar um comentário