Google+ Seguidores

segunda-feira, novembro 26

Como definir a missão de uma empresa?

Na fase de conclusão do curso, na preparação do TCC, é perceptível a dificuldade dos alunos em definir claramente a missão de uma empresa. Muitas vezes confundem Missão e Visão.
 A Missão é quase imutável, deve expressar o presente, o DNA da organização, a razão de sua existência. A Visão pode ser alterada de acordo com com o mercado e suas tendências, indica o futuro da empresa e o que ela pretende em sua trajetória.
É claro que esta é apenas uma dica para facilitar o entendimento e criar uma espécie de roteiro para facilitar a definição da missão. Mas, outras informações podem constar da missão.
Daniel Portillo Serrano, dá uma importante dica que facilita, e muito, a definição da missão organizacional.

"Quase sempre a missão é iniciada, com um verbo no infinitivo, como produzir, oferecer, contribuir, trabalhar, disponibilizar, etc".
 Pegando como "gancho" o roteiro de Daniel, vamos criar uma missão para uma empresa fictícia de consultoria de marketing.
1. O que se propõe a fazer. “Prestar Consultoria de Marketing”. Esta pode ser a missão final da empresa, mas vamos acrescentar mais dados:
2. Onde?: Prestar Consultoria de Marketing na microrregião de Lins ou Estado de São Paulo”. Perceba que o negócio especifica a área de abrangência, sendo uma empresa regional que, evidentemente poderá atender em nível nacional.
3. Para quem ? Prestar Consultoria de Marketing para empresas em geral na microrregião de Lins ou Estado de São Paulo. Veja que aqui a empresa já especificou que tipo de serviços ela vai oferecer. Essa vai ser a especialidade da empresa.
4. De que forma?. Prestar Consultoria de Marketing para empresas em geral na microrregião de Lins ou Estado de São Paulo, para identificar tendências e oportunidades e definir planos estratégicos . Aqui já estamos agregando o objetivo dos serviços a serem prestados.
5. Por que?. Prestar Consultoria de Marketing para empresas em geral na microrregião de Lins ou Estado de São Paulo, para identificar tendências e oportunidades e definir planos estratégicos para que elas se destaquem e evoluam no seu segmento.



Daniel Portillo Serrano é professor, palestrante, consultor e bacharel em Comunicação Social com ênfase em Marketing pela Universidade Anhembi Morumbi.

quinta-feira, novembro 15

Os jovens e seus sonhos



Todos os jovens sonham com um futuro brilhante, porém, de forma efetiva, poucos se preocupam em planejar o “passo-a-passo” para torná-lo real.
Você deve concordar que o que nos mantém vivos são os nossos sonhos e os desejos de realização pessoal e profissional. E o trabalho é, sem duvida, o principal caminho que poderá nos aproximar desse objetivo.
Desde a infância ouço dizer que os jovens são o futuro do país, que devemos cuidar deles com carinho para que consigam fazer o que os mais velhos não conseguiram realizar. Ser o futuro é uma enorme responsabilidade, e para que se concretize de maneira a satisfazer a humanidade é necessário planejar, mais do que isso, é imprescindível comprometer-se com sua realização.
Os jovens têm muitos sonhos e desejos, mas, na prática, pouco fazem para torná-los realidade.
Uma pesquisa feita pela Consultoria Universum, no primeiro semestre deste ano com 12 mil estudantes brasileiros, apontou que os universitários recém-formados esperam começar a carreira profissional com um salário médio de R$3.740,00. O estudo também mostrou que eles dão preferência para empresas que ofereçam um trabalho desafiante e que estimule a inovação. (Fonte: Revista Ensino Superior nº 169/2012, Editora Segmento).
É a característica típica dos jovens das novas gerações. Mas, o que de fato eles estão fazendo para triunfar na carreira profissional?
Outro estudo, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD, divulgada no final de setembro, revelou o crescimento de um grupo de jovens entre 15 e 17 anos, que nem estudam e nem trabalham. As prováveis causas são: a desmotivação na busca pelo emprego por falta de uma capacitação básica exigida pelo mercado; e o desinteresse em voltar a estudar por não se sentir atraído pela escola. (Fonte: Revista Agitação, nº 107, set/out/2012-CIEE).
“Querem isso, querem aquilo e aquilo outro. Mas, o que tem feito para conquistar seus desejos?” É esta a pergunta que faço à juventude.
O mercado de trabalho é outro. Ter um diploma já não é mais garantia de um bom emprego. Um segundo ou terceiro idioma passaram de diferenciais competitivos para um item necessário que garanta a sobrevivência de quem pretende se dar bem na vida.
Os processos de seleção profissional dos dias atuais, além de exigirem uma formação acadêmica de qualidade e o domínio de idiomas, admitem apenas profissionais de caráter e éticos, que conservem um bom relacionamento interpessoal, que sejam criativos e flexíveis, capazes de se adaptar aos mais conturbados ambientes corporativos, e que tenham características básicas de liderança.
Adaptar-se às novas exigências do mercado de trabalho significa atualização permanente e requer conhecimento sobre o mercado mundial e suas tendências. É necessário desenvolver competências pessoais, além de criar, manter e fortalecer uma rede de contatos – network - para que se consiga identificar melhores oportunidades de trabalho.
Diante dessas exigências, é importante manter o corpo e a mente em dia para suportar toda essa pressão. Há um consenso na medicina de que o fator que mais prejudica nossa saúde é o estilo de vida que levamos. Portanto, cuide-se e saiba planejar a sua vida em busca dos mais ousados objetivos.
Vorlei Guimarães