Google+ Seguidores

quarta-feira, agosto 22

O líder e o chefe

A distância entre um e o outro é enorme e interfere na maneira como os subordinados atuam.

Antes de refletir sobre o tema acima, inicio este texto comentando sobre uma abordagem que tive um dia desses.

“O que é Inteligência Emocional?” Essa foi a pergunta feita a mim por um grupo de alunos do Ensino Médio de uma escola pública de Lins. Aliás, parabéns à professora ou professor que solicitou a pesquisa sobre esse tema que é de extrema importância para quem lida com pessoas o tempo todo.

Antes de responder à pergunta, questionei o grupo sobre qual era a ideia do trabalho. A resposta foi que eles deveriam gravar um vídeo com alguns professores, mesmo que os entrevistados não tivessem informações sobre o tema. Ou seja, diriam o que viesse à cabeça.

Após minha resposta - devidamente gravada – eles riram e disseram ter entendido o significado do tema. Não que eu seja um expert no assunto, e sim apenas mais um leitor do livro “Inteligência Emocional”, do Psicólogo e PhD, Daniel Goleman. É claro que minha resposta foi curta e grossa, mas, de certa forma objetiva para atender a proposta do trabalho.

De acordo com Goleman, "Inteligência Emocional é um conceito em Psicologia que descreve a capacidade das pessoas em reconhecer os próprios sentimentos e os dos outros, assim como a capacidade de lidar com eles". Deveria ser leitura obrigatória, principalmente aos professores brasileiros que vivem em constante tensão nas salas de aula em razão de uma série de situações. Já escrevi sobre (Leia o artigo sobre esse tema em blovog.blogspot.com.br/2012/07/a-educacao-por-oticas-distintas).

Está relacionada às habilidades das pessoas em se auto motivar, sem desanimar diante de desilusões e insucessos. É conseguir controlar seus próprios impulsos e motivar pessoas, fazendo com que elas deem o melhor de si e sejam comprometidas com seus objetivos. Esse conceito rapidamente me remete à interação entre professores e alunos, mas, também, entre chefes, líderes e subordinados.

Muitos estudos apontam quais são as competências, atitudes, qualidades e ações ideais de um líder. Liderança envolve, da mesma maneira, empresas e colaboradores e professores e alunos. Em ambos os segmentos existem os que agem feito chefe e os que atuam como líder. Cada qual no seu quadrado.

Ocorre que a expressão "chefe" tem sido depreciada, como se fosse uma pessoa malvada, inescrupulosa, que não tem um bom relacionamento com os subordinados. Por outro lado, a palavra “líder” passou a ser usada como se fosse um cargo e não características intrínsecas de alguém com habilidade para ser, de fato, líder.

Não podemos nos esquecer de que o líder é visto e aceito como líder, independente do cargo. Mas, voltando ao tema, Inteligência Emocional é a principal característica de um líder, que sabe controlar as emoções e agir com a razão. É isso que difere os humanos dos outros animais. Em resumo, é dessa maneira que evitamos brigas e conflitos.

Quem conhece e controla suas próprias emoções tem relações mais saudáveis e uma vida melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário